Manejo de frango de corte: pontos importantes para a fase inicial

frango de corte
17 minutos para ler

O manejo de frango de corte começa antes mesmo da chegada dos pintinhos à granja, realizando os procedimentos de limpeza e desinfecção das instalações e dos equipamentos, além do preparo do ambiente para o recebimento das aves. O alojamento deve garantir uma ambiência adequada para a fase, pois qualquer tipo de estresse pode prejudicar o desempenho da ave, reduzindo o ganho de peso diário.

Visando garantir bons resultados na produção do frango de corte na avicultura, é essencial conhecer as peculiaridades do manejo, visto que qualquer adversidade que a ave sofra poderá implicar a redução de desempenho no final do seu ciclo de produção.

Como o ganho de peso e a eficiência alimentar das aves na idade do abate dependem das boas práticas desenvolvidas nessa etapa produtiva, o avicultor deve acompanhar o desempenho das aves ao longo de todo o ciclo e cumprir os procedimentos corretos para evitar os erros de manejo que comprometam o resultado econômico da atividade.

Pensando nisso, elaboramos este post para você. A seguir, confira todos os detalhes sobre as fases iniciais da criação de frangos de corte — aquelas que abrangem até os 21 dias de idade. Boa leitura!

Manejo de frango inicial: tudo o que você precisa saber

A primeira semana de vida dos frangos de corte representa mais de 16% do período de criação. Aliando-se esse fato a todos os processos fisiológicos intrínsecos ao desenvolvimento inicial, pode-se considerar que essa é a fase mais crítica da produção. Sua importância se deve ao fato da grande influência que exerce sobre o desempenho dos animais no final do ciclo produtivo.

Dados apontam que o Brasil é o terceiro maior produtor mundial de carne de frango — totalizando mais de 13 milhões de toneladas anuais, que são exportadas para mais de 150 mercados. Os números são da Embrapa e da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que também indicam que a avicultura reúne mais de 3,5 milhões de trabalhadores.

Em vista disso, realizar o manejo adequado nas primeiras fases de vida dos frangos de corte faz com que o produtor obtenha melhores resultados, de forma a garantir um produto de qualidade de acordo com a exigência do mercado consumidor. Entenda a seguir!

Como preparar a granja para a chegada dos animais?

A preparação do galpão, a recepção das aves e o manejo na primeira semana são muito importantes para que as aves expressem seu potencial ao máximo. Após pelo menos 10 dias de vazio sanitário, o galpão deve estar em condições adequadas para a chegada dos pintinhos, com os bebedouros higienizados e funcionando, e os comedouros abastecidos e funcionando adequadamente.

Pré-aqueça o aviário e certifique-se de que a ventilação mínima esteja funcionando. A temperatura e a umidade relativa (UR) devem ser estabilizadas por pelo menos 24 horas antes da entrega dos pintos.

Com relação ao manejo de temperatura no interior do galpão, de 2 a 3 horas antes da chegada dos pintos, é necessário garantir que a temperatura ambiente da granja esteja em torno de 32 °C. A cama deve ser de material de boa procedência e ter uma altura de 8 a 10 cm. Caso uma cama seja reutilizada, é recomendado que se distribua ao menos 2 cm de espessura de material novo.

No momento do alojamento, efetua-se a contagem e a pesagem dos pintos. Esse manejo pode ser utilizado para separar os animais que apresentem deformidades — seja de pernas, bico ou qualquer alteração que prejudique o seu desenvolvimento.

qualidade do pintinho é de suma importância para o sucesso do desempenho do lote. Portanto, é necessária a aquisição de animais provenientes de incubatórios idôneos, registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), e que apresentam controle sanitário eficiente.

É importante realizar o monitoramento do status sanitário e das condições de saúde das aves em todo o ciclo produtivo, dando atenção especial a fase inicial de forma a garantir que elas sejam livres das principais doenças que afetam frangos de corte, tais como aspergilose, micoplasmose e salmonelose. Além disso, os pintinhos devem ter procedência de matrizes que receberam as vacinas para aves, já que isso é capaz de transmitir imunidade aos pintos.

Nesse caso, as principais doenças são Newcastle, Gumboro, varíola aviária, bronquite infecciosa das galinhas, coriza infecciosa e encefalomielite. Ainda no incubatório, certifique-se de que todos os pintinhos tenham recebido a vacina contra a doença de Marek.

A densidade de alojamento deve ser considerada e será determinada de acordo com:

  • tipo de instalação;
  • clima;
  • peso de abate;
  • recomendação do bem-estar animal.

A densidade populacional influencia o bem-estar das aves, o desempenho e a qualidade do produto final. A sobrepopulação aumenta as pressões ambientais no aviário, comprometendo a produção e reduzindo a rentabilidade.

Outro ponto importante é a área de alojamento, que deve ocupar menos da metade do aviário. À medida que as aves se desenvolvem, aumenta-se o espaço. Aliás, determinar de maneira correta a densidade de alojamento evita prejuízos causados por problemas de patas, de arranhões e de mortalidade, além de manter a qualidade da cama.

Os criadores de frango de corte devem ter especial atenção em relação à cama. É importante:

  • optar por um material que seja de boa qualidade, com boa absorção de umidade;
  • utilizar uma cama que proporcione conforto para as aves, com baixo nível de poeira e livre de contaminantes;
  • reutilizar a cama apenas após manejos para a desinfecção de forma a garantir a biossegurança.

As aves devem ter acesso ilimitado à água limpa, fresca e de boa qualidade. O fornecimento inadequado de água, em volume ou em números de ponto de consumo, poderá comprometer a taxa de crescimento. Assim, é necessário ter atenção com a regulagem da altura dos bebedouros e a vazão da água, a fim de evitar vazamentos que aumentem a umidade da cama (>35%).

Deve-se verificar diariamente a altura dos bebedouros e, se necessário, realizar os devidos ajustes. Os bebedouros devem ser mantidos limpos, sem sujeira e material fecal, e em bom estado de funcionamento. Qualquer acúmulo de depósitos de cálcio deve ser removido, usando um produto de limpeza adequado durante o processo de higienização do alojamento.

Quais cuidados tomar no transporte da pintainha até a granja?

A data e horário de entrega previstos e o número de pintos devem ser estabelecidos com o fornecedor muito antes do alojamento dos pintos. Isso garantirá que o preparo adequado do sistema de criação inicial seja feito e que os pintos possam ser descarregados e alojados o mais rápido possível.

O transporte da pintainha até a granja é um ponto crítico a considerar. Geralmente, os avicultores não medem esforços para produzir pintos de um dia com elevada qualidade, mas negligenciam os riscos e os danos causados aos lotes durante esse processo.

A distância entre os nascedouros e a granja pode variar de poucos a milhares de quilômetros, fazendo com que o transporte dure alguns minutos, horas ou, até mesmo, dias. Para reduzir os custos, as empresas já testaram inúmeras alternativas, que vão desde aumentar o número de pintinhos por caixa até sobrecarregar o caminhão.

Porém, essas medidas afetam diretamente a temperatura no interior das caixas, bem como a disponibilidade de oxigênio para a pintainha. A temperatura deve ser ajustada para que a temperatura retal dos pintos seja de 39,4 a 40,5 °C.

Observe que as configurações necessárias para atingir essa temperatura de cloaca vão variar dependendo dos diferentes modelos dos veículos.

Caso não ocorra controle da temperatura, o excesso de calor pode causar o estresse térmico e a asfixia das aves, podendo gerar prejuízos significativos, chegando à perda de lotes inteiros. Em regiões de clima quente ou onde veículos com controle do ambiente não estão disponíveis, o transporte deve ser planejado para que os pintos cheguem à granja no horário mais fresco do dia.

Assim, os caminhões devem ser carregados de acordo com a sua capacidade, e a área mínima nas caixas deve ser de 21 cm2/pinto. Entretanto, nas épocas mais quentes do ano ou em viagens muito longas, é recomendado reduzir essa densidade.

Para manter a qualidade dos pintinhos, a temperatura deve seguir o seguinte padrão:

  • no interior das caixas — 32 °C (lembrando que a temperatura dentro das caixas pode variar de 6 a 12 °C acima da do ambiente);
  • temperatura cloacal — deve ser monitorada e mantida entre 40 a 40,6 °C.

É importante que a equipe se certifique de que há ventilação suficiente no interior das caixas, mas que não haja correntes de ar na pintainha. Pode ser necessário aumentar o nível de ventilação se o caminhão não tiver ar condicionado e a ventilação for o único método disponível para refrescar os pintos.

O melhor é que o transporte seja realizado durante a noite, e que o motorista não faça movimentos bruscos com o caminhão para não estressar as aves.

O foco deve ser sempre no bem-estar das aves, já que a eficiência alimentar dos frangos de corte é influenciada pelo manejo nessas fases iniciais. Qualquer estresse sofrido nesse período, mesmo que por pouco tempo, pode prejudicar o desempenho dos frangos de corte nas etapas subsequentes.

Os pintos chegam à granja no devido tempo, para serem alimentados o mais rápido possível após o nascimento.

Um pinto de boa qualidade precisa estar limpo após o nascimento. Ele deve ficar em pé e caminhar bem, estar alerta, ativo e sem deformidades, com o saco vitelino totalmente retraído e o umbigo totalmente cicatrizado. Ele deve manifestar seu bem estar por meio da vocalização. Se a qualidade do pinto for inferior à desejada, comunique imediatamente o problema ao incubatório.

Chegando à granja, as portas do caminhão jamais devem ser abertas para o vento predominante, e o desembarque deve ser feito por uma equipe treinada. A pintainha deve ser levada imediatamente para o pinteiro, estimulando as aves para que busquem água e alimento.

Na hora do desembarque, é indicado fazer a contagem de aves mortas, bem como observar se a taxa de mortalidade está distribuída uniformemente pelo interior do caminhão, ou se é mais alta em determinados pontos do veículo. Essa informação deve ser reportada para o motorista em seguida.

Ressaltamos que o comportamento das aves é uma das melhores maneiras de monitorar o conforto dentro das caixas. Observe se os pintinhos estão calmos, respirando pelas narinas, bem distribuídos pela caixa e emitindo poucos ruídos de interação social.

De que maneira deve ser realizado o alojamento dos pintinhos?

Ao alojar os pintos no aviário, deve-se ter o cuidado de estimular as aves a beber água, molhando-se o bico a fim de orientá-las quanto à fonte de água. As demais aves, ao verificar o comportamento das outras, aprenderão a se hidratar por repetição.

A água deve estar fresca, limpa e em quantidade suficiente, estando disponível o tempo todo, a todas as aves, com pontos de acesso a uma altura adequada. Os canos de água precisam ser enchidos pouco antes da chegada dos pintos, e as bolhas de ar na tubulação devem ser removidas.

Se estiver usando bebedouros nipples, ajuste a pressão da linha para que todos os bicos apresentem uma gota de água visível. Esse processo também ajudará os pintos a encontrarem água mais rapidamente quando forem alocados na área do alojamento.

Caso tenha optado por bebedouros pendulares, todos os bebedouros dentro da área de alojamento devem ser inspecionados para assegurar que estejam abastecidos com água. Não forneça água gelada aos pintos.

Em caso de longas distâncias entre o incubatório e a granja, ou em regiões extremamente quentes com baixa umidade relativa do ar, recomenda-se adicionar vitaminas e eletrólitos à água para promover a hidratação das aves.

O aviário deve ser preaquecido e a ventilação mínima funcionar de forma adequada. A temperatura e a umidade relativa (UR) precisam ser estabilizadas por pelo menos 24 horas antes da chegada dos pintinhos. O aquecimento deve ser mantido até os 14 dias de idade. No inverno, pode ser mantido até 21 dias nas horas mais frias, normalmente à noite.

O ideal é que se mantenha a temperatura ambiente de 30 a 32 °C na primeira semana, reduzindo-se 3 °C por semana — chegando ao fim da fase inicial com 24 °C.

Temperatura e umidade devem ser acompanhadas regularmente, mas, de longe, o melhor indicador das condições corretas do aquecimento são as observações frequentes e cuidadosas do comportamento dos pintos.

Em geral, se os pintos estiverem distribuídos uniformemente em toda a área de alojamento, isso indicará que o ambiente é confortável para eles e que não há nenhuma exigência para ajustar a temperatura e/ou umidade relativa.

Por outro lado, se os pintos estiverem agrupados sob os aquecedores ou na área de alojamento, isso indicará que estão com muito frio; portanto, a temperatura e/ou umidade relativa do ar deverá ser aumentada.

Por fim, se os pintos estiverem aglomerados perto das paredes da área do alojamento ou longe das fontes de calor e/ou estiverem ofegantes, isso indicará que estão com muito calor; portanto, a temperatura e/ou umidade relativa do ar deverá ser reduzida.

Manejo de cortinas: cuidados com aves criadas em galpões tradicionais

Para aves criadas em galpões convencionais, é necessário ter um bom sistema de cortinas que possa ser movimentado para cima e para baixo, de forma a realizar o adequado manejo. O manejo das cortinas é realizado de acordo com a temperatura, a umidade, a qualidade do ar e a idade das aves. Entenda:

  • para garantir o aquecimento até os 3 dias de idade, as cortinas laterais devem ficar totalmente fechadas, a menos que o comportamento das aves, o ambiente e as medições da qualidade do ar indiquem o contrário;
  • a cortina interna pode ser aberta para que haja melhor ventilação e troca de ar nos momentos mais quentes do dia, de 2 semanas de idade em diante;
  • deve-se evitar abrir as cortinas de uma vez para não permitir mudanças bruscas de temperatura.

Nessa fase inicial, um grande desafio é manter a boa qualidade do ar do pinteiro, visto que, para manter o aquecimento das aves, muitas vezes, o galpão é totalmente vedado.

Isso dificulta a renovação do ar e, consequentemente, é elevada a concentração de amônia — que predispõe as aves a doenças respiratórias e ao risco de doença secundária, além de queimaduras nos coxins plantares, cegueira e calos de peito.

Criação de frango: iluminação

A iluminação e como ela é manejada (horas de luz e escuridão e distribuição ao longo do dia) pode afetar a produtividade e o bem-estar dos frangos de corte. Afinal, os frangos de corte se beneficiam com um padrão definido de claro e escuro (dia e noite), criando períodos distintos para o descanso e a atividade.

Uma série de processos fisiológicos e comportamentais importantes segue os ritmos diurnos normais. Portanto, ciclos definidos de luz e escuridão possibilitam que os frangos de corte vivenciem os padrões naturais de crescimento, desenvolvimento e comportamento.

Com relação à luz, todos os programas de iluminação devem prever um fotoperíodo longo, como o de 23 horas de luz e 1 hora de escuridão nos estágios iniciais de crescimento — até 7 dias de idade. Isso garantirá que os pintos tenham uma boa ingestão de alimentos e água, otimizando o crescimento, a saúde e o bem-estar iniciais.

Dessa forma, as aves permanecem ativas e se alimentam durante todo o dia, permitindo seu rápido desenvolvimento. É importante fornecer uma hora de escuro para habituar as aves à falta de luz, evitando amontoamento caso haja queda energia.

Após 7 dias de idade, cerca de 5 horas de escuridão tendem a ser ideais (4-6 horas) e pode-se utilizar programas de iluminação de 18 a 20 horas de luz por dia. É importante ressaltar que o período de escuro é fundamental e, caso não se realize, as aves podem apresentar comportamentos anormais de ingestão de alimento e água devido à privação do sono. O comportamento biológico inadequado, por sua vez, impacta a conversão alimentar, a taxa de crescimento, a mortalidade e o bem-estar das aves.

Na fase inicial, recomenda-se utilizar a iluminância de 30 a 40 lux. Após a primeira semana a indicação é de, pelo menos, 5 a 10 lux para estimular o consumo de ração e melhorar o crescimento.

Alimentação das aves: ração e água

O fornecimento de ração tem como objetivo suprir as necessidades nutricionais para o ciclo de vida dos frangos de corte. Para isso, devem ser aplicados programas nutricionais e alimentares adequados, otimizando o comportamento biológico sem comprometer o bem-estar das aves ou o ambiente dos frangos de corte.

O crescimento dos frangos é o resultado do teor de nutrientes e do consumo de ração, que, assim como a água, deve estar disponível à vontade durante todo o período de criação. Os sistemas de comedouros e bebedouros, juntamente com seu manejo, terão impacto na ingestão de alimento e água e na capacidade de fornecer um programa específico de alimentação para as aves.

A ingestão é afetada pela forma física do alimento. O melhor consumo de ração se dá com partículas trituradas, alimentos micropeletizados e pellets de boa qualidade. Ração com tamanhos de partículas desiguais podem aumentar o desperdício de alimento, já que as partículas menores caem facilmente dos bicos das aves.

Os pintos que consomem níveis mais elevados de partículas finas (abaixo de 1 mm de tamanho) ou fareladas desperdiçarão mais ração. Com o desperdício e o derramamento, haverá uma redução substancial da sua eficiência.

A qualidade das matérias-primas, o uso de ingredientes de alta digestibilidade, o atendimento aos requerimentos nutricionais e a utilização de aditivos tecnológicos, aliados à qualidade do pellet, com mínima quantidade de finos, garantem balanço nutricional ideal em cada partícula da ração.

Além disso, por se tratar de dieta triturada, há vários tamanhos de partícula que permitem que as aves de todos os tamanhos se alimentem de maneira homogênea, proporcionando maior uniformidade do lote aos 7 dias e, consequentemente, maior viabilidade até o final da criação.

À medida que as aves crescem, as linhas de comedouros e de bebedouros devem ser reguladas de forma a manter a borda ou a calha no nível do dorso da ave. Isso permite o fácil acesso, com redução de desperdícios.

A qualidade e a temperatura da água devem ser avaliadas constantemente, tendo em vista que as aves reduzem muito o consumo de água quando ela se encontra em alta temperatura. Ao reduzir o consumo de água, reduzem a ingestão de ração, o que prejudica o crescimento e o desenvolvimento.

Como você pôde perceber, o avicultor deve ficar atento a inúmeros pontos antes mesmo de iniciar o ciclo produtivo dos frangos de corte. Dessa forma, é de suma importância atender a todos os pontos de manejo que citamos para que se garanta o bom desempenho durante as fases iniciais, que serão determinantes nos resultados das etapas seguintes.

Acha que esquecemos alguma informação importante do manejo de aves nos primeiros dias de criação? Deixe seu comentário no post e conte-nos o que achou do conteúdo!

Este conteúdo foi elaborado com a colaboração da Equipe de Especialistas em Nutrição de Aves

 

Você também pode gostar

8 thoughts on “Manejo de frango de corte: pontos importantes para a fase inicial

  1. Boa noite crio frango de corte desde Março do corrente ano ,e todos lotes apresentam 4 a 5 frangos de suficiência nas patas e não endencia a origem do problema. E com esse aprendizado irei melhorar os cuidados.obrigada.

    1. Olá, Cesar agradecemos o seu comentário em nosso blog e ficamos felizes com a sua visita!

      Para acompanhar os novos conteúdos do blog, assine a nossa newsletter e fique por dentro dos assuntos mais atuais sobre nutrição animal.

      Até breve,

  2. Sou avecultor a 16 anos no lote passado tirei 1.13 por cabeça e a minha conversão foi 1.53 essa foi o meu melhor lote q já tirei como posso melhorar na parte de conversão

    1. Olá Rodrigo, agradecemos o seu comentário em nosso Portal e ficamos felizes com a sua visita!

      Confira esse artigo em nosso blog: https://nutricaoesaudeanimal.com.br/tendencias-da-avicultura/

      Para direcionar o seu atendimento a um especialista, gentileza entrar em contato com a Vaccinar pelo telefone 0800 031 5959.

      Receba em seu e-mail os novos conteúdos do nosso Portal, assine a newsletter e fique por dentro dos assuntos mais atuais sobre nutrição animal.

      Até breve,

Deixe um comentário