fbpx

Relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) aponta que a produção de carne de frango no Brasil deve crescer 1,8%, em 2019. Neste cenário, a projeção é de um potencial para 13,6 milhões de toneladas de frango produzidas. Esses dados mostram a força da avicultura brasileira.

Se o setor tem raízes na produção familiar, porém atualmente o cenário tem mudado. A produção se tornou uma atividade econômica que segue rígidos padrões internacionais e cumpre pré-requisitos técnicos muitos específicos. Além disso, cada vez mais, surgem estratégias nutricionais que, além de melhorarem aspectos nutricionais, refletem nos resultados nas granjas.

Considerado um dos grandes produtores de frango no mundo, o Brasil tem uma cadeia que gera cerca de 1 milhão de empregos relacionados apenas à produção de frangos de corte. Sobre a produção de ovos, o cenário não é muito diferente.

A importância da avicultura é significativa para o desenvolvimento econômico e produtivo do agronegócio. Por todas essas razões, é uma área que está em fase de diversificação de mercado e, cada vez mais, são aplicados recursos para a melhoria dos processos.

Vamos falar neste artigo sobre o atual cenário da avicultura no Brasil e o que pode ser feito para que a produção esteja adequada às normas produtivas.

Desafios e oportunidades da avicultura brasileira

A avicultura no Brasil tem entre os principais desafios da atualidade a necessidade de adequação dos sistemas de produção às novas exigências de bem estar animal.

O conceito envolve uma forma ética e humanitária de atuação. Além disso, diz respeito à crescente conscientização sobre a importância de ajustar os sistemas de criação de forma a respeitar os animais em suas necessidades fundamentais. Esse é um reflexo de uma mudança de pensamento no mercado.

Mas, ainda assim, a preocupação com o bem-estar animal deve possibilitar a produção e a manutenção dos índices produtivos. Dessa forma, deve-se respeitar as 5 liberdades que são premissas para esse conceito de bem-estar animal, assim como a redução no uso de promotores é outro conceito que tem ganhado muita força ao redor do mundo.

Ou seja, é possível ressaltar que existem dois principais desafios da avicultura no Brasil hoje e eles estão interconectados: aliar a produtividade sem comprometer as bases da sustentabilidade.

Para tal, os processos de produção da avicultura brasileira devem seguir rígidos protocolos e uma legislação clara, que norteia tudo o que envolve o setor.

Adequação de processos na avicultura

Boas práticas e protocolos específicos estruturam a avicultura brasileira. Para tal, existem normas e diretrizes que apontam o que deve ser observado quanto a:

  • rotinas de manejo;
  • práticas de sanidade;
  • isolamento de granjas;
  • processamento e comercialização do produto final;
  • protocolos de biosseguridade.

As próprias empresas que atuam com avicultura estabelecem seus protocolos de segurança e garantia da qualidade que seguem as diretrizes apontadas pelos órgãos fiscalizadores. O objetivo principal é a melhoria contínua dos processos, além da redução de custos, sem prejuízos para a produção.

Caminhos para adequar os processos de produção de aves

Antes mesmo de abrir uma granja, o produtor deve estar enquadrado, no mínimo, nas diretrizes que as normativas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) preconizam. Esses são pontos prioritários e que devem ser relacionados antes que seja iniciado o investimento em um negócio referente à avicultura.

Após cumprir uma série de requisitos, é concedido um registro para que, enfim, seja aberta uma granja. Para uma granja avícola, as instruções normativas do MAPA — nºs 56 e 59 — devem ser atendidas primeiro para regular a produção de aves no Brasil. Sem elas, não é permitido produzir ovos, por exemplo.

Como se adequar aos nichos de mercado

Quando o produtor busca por algum tipo de produção de nicho (a exemplo de orgânicos), como o que acontece no mercado destinado à produção de ovos oriundos de uma produção livre de gaiolas, é preciso se adequar às normas de certificadoras. São elas que asseguram o cumprimento de todos requisitos exigidos por esse tipo de criação e conferem ao produtor o selo que garantirá o “diferencial” de sua produção.

Entre elas, estão a World Quality Service (WQS), Certified Humane, Orgânicos do Brasil, entre outras. Ainda assim, em todas as fases é primordial lembrar-se da importância do zootecnista e do médico veterinário.

Porém, seja no processo de certificação ou na adequação dos processos produtivos da avicultura brasileira, são encontrados erros que podem vir a prejudicar os resultados da granja e da produção.

Principais erros da avicultura brasileira

Os principais erros com relação à produção de aves no Brasil estão ligados ao gerenciamento inadequado dos índices zootécnicos. Mas esses não são os únicos pontos que afetam negativamente a produtividade.

Existem outros problemas que podem, até mesmo, colocar em risco a produção. São eles:

  • pouca atenção para a biosseguridade;
  • treinamento ineficiente de pessoal;
  • falha na gestão de índices zootécnicos;
  • baixo controle da qualidade de matérias-prima e processos.

Para remediar esses possíveis erros e garantir uma atuação mais eficiente na avicultura, o produtor está se especializando cada vez mais. Outro ponto que está sendo trabalhado é com relação à realização de cursos e treinamentos.

Com uma concorrência crescente, o gestor precisa se especializar para que sua produção não seja impactada negativamente devido a falhas que podem ser evitadas ou remediadas. Entenda como isso acontece.

O perfil do produtor do setor da avicultura

O produtor do setor de avicultura no Brasil cada vez mais se profissionaliza e se torna mais técnico. O conhecimento em tecnologia, aliás, é um importante aliado para o avicultor brasileiro. Da mesma forma, percebe-se uma crescente na gestão focada em processos adequados, além do respeito à legislação.

Esses são pontos que não apenas melhoram os níveis produtivos e entregam resultados mais eficientes, como também reduzem as chances para que sejam enfrentados graves problemas, que podem prejudicar a produção.

Por tais razões, é possível acompanhar o aumento no número de cursos, palestras e treinamentos que já estão na agenda do setor. As opções são muitas, sejam elas vinculadas à associação de produtores ou universidades. Por fim, podem auxiliar na obtenção de conhecimento e na estruturação de estratégias que melhoram a avicultura no país.

Em paralelo, outra aposta que é muito importante para o setor está relacionada ao investimento em profissionais de confiança. O produtor pode se aproveitar do conhecimento de empresas parceiras que devem estar aptas para auxiliar nesse ponto, seja na forma de treinamentos ou de assistência técnica.

A avicultura brasileira se mantém competitiva ao respeitar rígidas normas e diretrizes produtivas. Respeitar as rotinas de manejo, as práticas de sanidades, o isolamento das granjas e os protocolos de biosseguridade são alguns dos pontos que garantem a correta adequação dos processos produtivos. Por fim, é primordial seguir as instruções normativas do MAPA e garantir os bons resultados na gestão produtiva.

Gostou do artigo? Saiba, agora, como a tecnologia impacta na avicultura!

Esse conteúdo foi produzido com a colaboração de Javer Alves Vieira Filho, especialista em Nutrição de Aves na Vaccinar.

Escreva um comentário