fbpx

O fato de a carne suína ser a mais consumida no mundo faz com que o mercado da suinocultura seja sempre uma boa aposta. Independentemente da capacidade de investimento do produtor e do nível de produtividade que se deseja atingir, as normas de bem-estar animal devem ser levadas em consideração na hora de fazer as instalações para suínos.

Isso porque as condições de saúde mental e física em que os animais se encontram contribuem categoricamente para a sua produtividade. Por isso, o produtor precisa focar em proporcionar conforto ao animal e prezar pelas boas práticas de manejo para evitar o estresse dos suínos e fugir dos grandes prejuízos decorrentes do descaso com essas práticas.

Mas, então, como devem ser as instalações para suínos, qual a relação delas com a nutrição animal e como essa engrenagem gera rentabilidade ao negócio? Continue a leitura do artigo e entenda!

Como devem ser as instalações para criação de suínos?

As instalações para suínos devem ser arquitetadas para garantir controle a variações climáticas (umidade, temperatura, velocidade do vento, incidência solar etc.) além da qualidade do ar dentro dos abrigos (nível de poeiras, amônia e outros gases) e a qualidade acústica dos galpões (poluição sonora). A soma desses elementos compõe o que se chama de Ambiência Animal — Térmica, Aérea e Acústica.

Ter conhecimento a respeito da biologia dos animais com que se trabalha é de suma importância para desenvolver as melhores técnicas de criação, maximizando a performance do plantel. Como os suínos são homeotérmicos, mas com menor capacidade de termorregulação que outras espécies devido a dificuldade em transpirar, as altas temperaturas são o principal desafio para a suinocultura em regiões tropicais como o Brasil.

Veja a seguir os princípios básicos para os alojamentos na criação de suínos!

Localização

A escolha do local onde os galpões serão construídos deve levar em consideração questões relacionadas ao meio ambiente e à legislação em vigor. Portanto, é preciso respeitar as distâncias mínimas de cursos d’água, áreas de preservação permanente etc. O terreno deve ser plano e bem drenado, além de ter declividade entre as instalações e as lagoas de dejetos.

Além disso, deve-se averiguar itens importantes para o funcionamento da criação, como energia elétrica, estradas, abastecimento de água e meios de comunicação.

Orientação e dimensões

As instalações devem ser posicionadas com seu eixo longitudinal no sentido leste-oeste. Dessa forma, a carga térmica recebida pela instalação será menor. A altura do pé-direito é crucial para manter os animais afastados do calor oriundo do telhado e do bolsão de ar quente que se forma dentro da instalação. A medida ideal para galpões com até 13 m de largura é de 3 m de altura.

Cobertura

A construção do telhado deve ter foco na redução do calor. Portanto, é necessário usar cor branca no seu exterior, o que reflete a luminosidade e diminui a retenção de calor. Deve haver um forro (a segunda barreira física) que mantém uma camada de ar junto à cobertura, reduzindo a transferência de calor para o interior do abrigo.

É importante optar por telhas térmicas, que oferecem melhor isolamento térmico do que as de fibrocimento ou de barro.

Ventilação

A ventilação é fator importantíssimo para a regulagem da temperatura e da umidade nas instalações para suínos. A implantação de lanternim (abertura no telhado) e ventiladores nas laterais do abrigo permite a renovação contínua do ar, contribuindo também para a dissipação de poeira e gases tóxicos.

Os equipamentos de ventilação devem gerar o mínimo de ruído, pois os suínos são altamente sensíveis à poluição sonora. Quanto mais barulhento for o local, mais estressados eles estarão.

Sombreamento

O sombreamento também é uma boa ferramenta para controle da temperatura interna dos galpões. O plantio de árvores no entorno protege os suínos da incidência direta do sol e proporciona temperaturas amenas. Contudo, é preciso evitar as frutíferas, pois atraem pássaros e roedores que podem comprometer a biosseguridade do sistema. Nesse caso, o uso de sombrites também é uma opção.

Cabe ressaltar que o ideal é que as instalações sejam divididas de acordo com a categoria produtiva dos suínos, não misturando a maternidade com fases de crescimento e engorda, por exemplo. Isso facilita o manejo e a limpeza, além de evitar a contaminação.

Como as instalações estão relacionadas ao bem-estar animal na suinocultura?

Para resumir a importância do conforto animal na suinocultura, o animal que está bem produz da forma adequada. Um sistema de criação que aplica boas práticas de manejo e oferece as condições ideais para a espécie se desenvolver consegue extrair o que há de melhor nos animais.

Os princípios do bem-estar animal asseguram que o suíno produzirá melhor, em um menor espaço de tempo, dentro das normas éticas e humanitárias. Isso significa que, se os suínos estiverem sob temperatura e umidade ideais, forem bem tratados e tiverem nutrição de qualidade, a sua produtividade atinge os níveis mais satisfatórios.

Como as instalações estão relacionadas à nutrição animal?

Como sabemos, um animal que está bem se alimenta adequadamente. Contudo, a situação dos alojamentos afeta diretamente as exigências nutricionais dos suínos, seja posição, tamanho e/ou estrutura do abrigo ou pelo espaço e quantidade de cochos e bebedouros disponíveis.

Dessa forma, a formulação da dieta oferecida ao plantel atenua alguns dos efeitos das instalações, como o desgaste energético dos animais para a manutenção da sua temperatura corporal, pelo excesso de frio ou de calor.

Por exemplo, quando a temperatura está acima da zona de conforto, a primeira mudança comportamental é reduzir o consumo de alimento. Sendo assim, é necessário que o suíno obtenha toda a sua demanda nutritiva em uma menor quantidade de ração. Isso é feito com a concentração de nutrientes e/ou o uso de ingredientes de mais fácil assimilação.

Com a situação inversa, quando a temperatura está abaixo da faixa ideal, o suíno precisa produzir calor metabólico e o gasto energético para isso reduzirá a sua eficiência alimentar. Desse modo, é necessário considerar essa exigência na hora de elaborar a sua dieta.

Quais são os benefícios e vantagens de instalações bem desenvolvidas?

Os investimentos feitos para a ambiência favorecem o planejamento de médio e longo prazo, pois as medidas corretivas serão mínimas. Além disso, cuidar do plantel atualmente é assegurar a continuidade do negócio no futuro.

Assim, algumas vantagens adquiridas com boas instalações para suínos são:

  • animais mais dóceis: a implementação de baias de gestação coletiva afeta positivamente o comportamento dos leitões, que ficam mais tranquilos e dóceis, facilitando seu manejo. Em outras categorias produtivas, os efeitos são os mesmos;
  • ganho de produtividade: o número de nascidos vivos pode aumentar, bem como o peso ao nascimento. Nas demais fases de produção, os animais se alimentam adequadamente e, sem o gasto energético para regular a sua temperatura e fugir do estresse, eles apresentam boa produtividade;
  • redução de custos: proporcionar melhores condições de vida para as matrizes e todas as categorias produtivas diminui os gastos de toda a cadeia produtiva. Suínos bem tratados adoecem menos e, dessa forma, o suinocultor despende menos gasto com veterinários e medicamentos.

Esses são apenas alguns fatores que devem ser levados em conta na hora de construir os abrigos. Outros elementos como textura do piso, tamanho das salas, distribuição dos cochos e número de animais por alojamento também precisam entrar no planejamento da atividade. Contudo, você pôde perceber o impacto gigantesco que as instalações para suínos têm na produtividade e na rentabilidade do negócio.

Nosso artigo foi esclarecedor para você? Ficou com dúvidas sobre criação e nutrição de suínos? Entre em contato conosco e converse com um especialista na área. Estamos sempre prontos para atendê-lo!

Este conteúdo foi produzido com a colaboração de Daniela Junqueira Rodrigues , Especialista em Nutrição de Suínos da Vaccinar.

Escreva um comentário