Criada pelo médico veterinário Paulo Loureiro e propagada pela pecuarista e veterinária Adriane Zart, a técnica de manejo de gado Nada nas Mãos tem como objetivo o bem-estar animal. Acontece a partir de uma abordagem empírica e instintiva que vem ganhando muita notoriedade no segmento da produção rural.

Com foco na relação de confiança entre humanos e bovinos, o método utiliza os instintos naturais do gado a favor do manejadores, apresentando uma série de benefícios também na produção pecuária.

Confira, neste post, como funciona a técnica de manejo Nada nas Mãos e quais seus efeitos tanto na produção, quanto na saúde do animal e na rotina do produtor.

O que é a técnica de manejo Nada nas Mãos?

O manejo Nada nas Mãos é uma técnica que busca resgatar a relação de confiança entre humanos e bovinos, utilizando os instintos naturais do gado a favor do manejador. Foi idealizada para que os animais sintam-se à vontade com a presença dos humanos, porque confiam no manejador e entendem que, naquele lugar, ele é o líder.

O método chegou ao Brasil há cerca de dois anos, por meio da pecuarista e médica veterinária Adriane Zart, sócia da Personal PEC. Apesar da resistência inicial por parte dos fazendeiros, a técnica vêm sendo muito bem aceita, por facilitar o trabalho de manejo.

Como funciona o manejo de gado Nada nas Mãos?

No manejo de gado Nada nas Mãos, a linguagem corporal é a ferramenta de comunicação com o animal. Como o próprio nome diz, sem nenhum material nas mãos o posicionamento correto em relação aos animais é ponto de partida para a utilização da movimentação do corpo, acompanhada pelo olhar e atitude para transmitir confiança e designar comandos.

Dessa forma, os animais trabalham voluntariamente para o manejador — e não porque se sentem ameaçados pelo uso de acessórios de manejo, como bandeiras ou tocos de madeira. Afinal, como o próprio nome indica, não são utilizados recursos materiais, além da posição e da atitude.

O método, com relação aos animais, funciona da seguinte forma:

  • posicionamento correto do corpo;
  • olhar, como ferramenta importante de comunicação;
  • atitude, para a transmissão da energia para o gado.

Com esse tipo de contato visual, é possível demonstrar confiança, designar comandos e fazer com que os animais trabalhem voluntariamente.

Qual é a importância da linguagem corporal no método?

A linguagem corporal é mais facilmente entendida pelos animais. Apesar de parecer subjetivo em um primeiro momento, a técnica, na prática, é bastante simples. Exemplo disso é que não é necessário treinar os animais para que eles respondam aos comandos. Ao primeiro contato já é possível notar a facilidade em compreender os comandos, tendo em vista que a resposta é totalmente instintiva.

Dito isso, é preciso treinar as pessoas para que elas compreendam como a técnica funciona, os melhores posicionamentos, para que assim o resultado seja alcançado na prática.

Os princípios da técnica de manejo Nada nas Mãos

Conheça os pontos centrais da técnica de manejo de gado Nada nas Mãos, aplicada na prática.

Trabalhar  dentro do campo de visão dos animais.

Um instinto muito forte do bovino é sempre buscar ver o manejador ou os funcionários da fazenda. Por isso, se o posicionamento é feito atrás do animal (como se faz no método tradicional, “tocando os animais”) é natural que todos eles se virem pra olhar o manejador, e deem as costas para o local ao qual deseja guiá-los — o que torna o trabalho muito mais desgastante.

Aproveitar o comportamento gregário do gado

No método Nada nas Mãos, é utilizado como ferramenta o comportamento gregário dos animais, a favor do manejador. Por isso, sempre é trabalhada a frente do lote, deixando com que os demais animais sigam o grupo, uma vez que isso acontece naturalmente.

Movimentação por meio da pressão e alívio

É importante ressaltar de que forma é realizada a movimentação do gado, que é com a utilização de pressão e alívio. Isso significa que o manejador pressiona um animal para andar e, à medida que ele responde ao comando, a pressão exercida é aliviada, como forma de agradecer o animal por aquela resposta.

Sendo assim, pressão e alívio constroem confiança, já que os animais sempre buscam a recompensa pelo comando obedecido.

Quais efeitos a técnica tem nas saúde e bem-estar do animal?

A mudança de atitude com os animais reflete em diversos aspectos produtivos, e a saúde do rebanho é uma das principais melhorias. Animais em situação de estresse tendem a ter menor resposta contra agentes infecciosos causadores de doenças, o que apresenta um prejuízo na produção de anticorpos frente à exposição vacinal.

Além disso, o gado apresenta comportamento de “disfarçar” a doença quando não confia no manejador — na natureza, os animais utilizam esse artifício como instinto de sobrevivência.

Confira mais alguns benefícios do método de manejo Nada nas Mãos, nos animais:

  • eles deixam de ver o funcionário da fazenda como uma ameaça;
  • é possível perceber que os animais ficam mais calmos;
  • eles entendem que o responsável pelo manejo não tem função de ameaçar;
  • há uma queda no nível de estresse dos animais manejados.

Quais resultados a utilização da técnica pode trazer ao produtor?

Animais calmos e tranquilos desempenham melhor e produzem mais. Deve-se prezar sempre pela qualidade do serviço, lembrando que o mais importante é “como” é realizado um trabalho e não somente “o que” é feito. Essa é a grande diferença entre produtores que se importam com a qualidade dos serviços executados dentro da fazenda e desejam aprimorar a gestão rural.

Além disso, com o método Nada nas Mãos, o fazendeiro mostra desejo de melhorar a qualidade de vida dos vaqueiros que lidam com o gado, facilitando o trabalho e diminuindo riscos, além de gerar melhor qualidade de vida do trabalhador e uma atividade mais prazerosa. Isso, com certeza, tem grande impacto dentro de uma propriedade rural!

Como aprender a técnica de manejo de gado Nada nas Mãos?

O aprendizado acontece por meio de treinamentos, que são ofertados pelos especialistas no assunto, para as equipes das fazendas. A duração média dos cursos é de um dia e meio a dois, dependendo da quantidade de pessoas na fazenda.

A composição dos cursos é feita por uma pequena parte teórica, com o aprendizado de conceitos — quando são apresentadas as referências do tipo de manejo. Depois, é realizada a fase técnica, seja no curral ou em qualquer outra área da fazenda. Com essa combinação, é possível demonstrar e treinar essa forma de manejar considerada mais moderna e agradável para o gado.

Como a técnica Nada Nas Mãos influencia na qualidade da carne?

Nos manejos de embarque pré-abate, os resultados são surpreendentes, e a redução das perdas por lesões de carcaça, significativas. Fazer com que os animais andem dentro do curral, sem correr, reduz seriamente os riscos de lesões por contusões ou acidentes.

Mas com relação à fisiologia animal, sabe-se hoje que situações de estresse prolongado inibem a liberação de hormônios importantes para a produção, como o do crescimento. Além disso, reduz a utilização de glicose pelos tecidos musculares e adiposos, gerando assim um efeito catabólico, ou seja, perda de peso dos animais.

Ainda com a baixa no estoque de glicogênio muscular, as alterações de pH da carne no post mortem não ocorrem de forma adequada, gerando uma carne de qualidade inferior, aspecto ruim e menor tempo de conservação.

A técnica de manejo de gado Nada nas Mãos contribui para a redução do estresse nos animais, com foco na compreensão do comportamento do rebanho. O conceito, baseado nos instintos naturais, reforça a necessidade do manejador se comunicar com o gado, de forma a apresentar resultados com maior eficiência, reduzindo custos com medicamentos e melhorando a rotina no curral.

Você já conhecia o manejo Nada nas Mãos? Para conferir outros conteúdos com métodos e técnicas que podem aprimorar o funcionamento da sua fazenda, assine a nossa newsletter!

Este conteúdo foi elaborado com a colaboração de Ana Silvia Soubhia, Médica veterinária na Personal PEC.

Escreva um comentário